PUBLICIDADE

Peão pisoteado e morto por touro em rodeio veio ao MS a convite de amigo

Fabiano participava do rodeio desde 2005 e, segundo a empresária, ele ganhou diversos prêmios. Além dessa profissão, ele também trabalhava como construtor e cuidando de boiada de uma companhia na cidade de Dracena, em São Paulo

| JéSSICA FERNANDES / CAMPO GRANDE NEWS


Fabiano Pinheiro da Rocha faleceu nesta semana no interior do Estado. (Foto: Facebook)

Amigos e familiares de Fabiano Pinheiro da Rocha deram o último adeus ao peão nesta quarta-feira (10), em Junqueirópolis, interior de São Paulo. Descrito como uma pessoa divertida e trabalhadora, ele foi sepultado na cidade em que morava com a esposa e os dois filhos. Fabiano participava de rodeio em Mato Grosso do Sul quando teve o pescoço pisoteado por um touro no domingo (07) e morreu.

O evento ocorreu no evento de celebração dos 61 anos de Fátima do Sul, o Fátima Fest 2024, que foi organizado pela prefeitura do município. Fabiano faleceu na segunda-feira (08), no hospital de Fátima do Sul, e o corpo foi levado para Junqueirópolis.

A despedida do peão começou ontem, por volta das 21h, no Centro Comunitário do Cristo Redentor de Junqueirópolis. Já o sepultamento foi realizado nesta quarta-feira, às 10h. Ao Campo Grande News, a cunhada de Fabiano, Janaína Crespilho fala que a família recebeu várias coroas de flores enviadas por companhias de rodeio de vários estados, como Mato Grosso do Sul e Paraná.

Desde ontem, a empresária contabiliza que pelo menos mil pessoas passaram pelo local para dar o último adeus. “Ele era bem querido, teve muitas coroas de flores', diz.

Natural de Nova Independência (SP), Fabiano vivia em Junqueirópolis com a esposa e um casal de filhos de 15 e 6 anos. A cunhada explica que a maioria dos parentes dele são de Nova Independência e que a prefeitura da cidade disponibilizou um ônibus para que eles chegassem a Junqueirópolis.

Segundo Janaína, o cunhado era uma pessoa que fazia de tudo pela família. “Ele era muito divertido, trabalhador, trabalhava de segunda a segunda para manter a família. Ele tinha uma filha de 15 anos e há um mês atrás foi o aniversário dela. Eles dançaram juntos', conta.

Fabiano participava do rodeio desde 2005 e, segundo a empresária, ele ganhou diversos prêmios. Além dessa profissão, ele também trabalhava como construtor e cuidando de boiada de uma companhia na cidade de Dracena, em São Paulo.

O peão veio ao Estado para participar do Fátima Fest 2024 a convite de um amigo. Fabiano já tinha visitado Mato Grosso do Sul para participar de outra competição.

Conforme a empresária, a organização do rodeio deu todo suporte financeiro à família. “Pessoal do rodeio está arcando com todos os gastos', afirma.

Hoje foi feita uma carreata em direção ao cemitério municipal de Junqueirópolis onde Fabiano foi sepultado.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE