PUBLICIDADE

Governador fala em R$ 3 bilhões de empresas internacionais interessadas em MS

O Governo do Estado criou o MS Day, em parceria com a Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), para tentar "vender" o Estado para o mundo

| MARISTELA BRUNETTO/CAMPO GRANDE NEWS


Eduardo Riedel durante coletiva na manhã desta segunda-feira. (Foto: Henrique Kawaminami)

Apesar de nada assinado, o governador Eduardo Riedel (PSDB) diz estar otimista com a reuniões que teve em Nova Iorque, na semana passada, durante o MS Day, evento que integrou a programação do Brazilian Week. Foram vários eventos empresariais organizados pelo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), entidade ligada ao ex-governador de São Paulo, João Doria Jr, e pelo o jornal Valor, partindo por encontro com cerca de 150 empresários e depois reuniões setoriais. O governo já havia antecipado o interesse de uma indústria de Chicago em se instalar em Terenos para trabalhar com colágeno bovino, com geração de 60 empregos.

O Governo do Estado criou o MS Day, em parceria com a Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), para tentar "vender" o Estado para o mundo. A primeira edição ocorreu em agosto de 2023, só que em São Paulo. Pela primeira vez essa caravana viajou para o exterior.

Neste ano, o Estado repassou R$ 1.723.929,28 à Federação para promoção desse tipo de encontros com fundos de investimentos internacionais e reuniões bilaterais. O valor é do Pró-Desenvolve (Fundo Estadual Pró-Desenvolvimento Econômico), bancado por empresas que tem de destinar 2% do que recebem em incentivos fiscais concedidos pelo Estado.

O governo garante que vários setores devem trazer investimentos depois das conversas nos Estados Unidos, de bioenergia, produção de papel a partir de celulose e infraestrutura. A estimativa é que sejam atraídos R$ 3 bilhões em empreendimentos. Riedel disse que não podia antecipar os envolvidos por se tratar de empresas de capital aberto, operadoras em bolsa, que teriam o momento certo de divulgar os projetos.

Além de atrair indústrias de transformação, o governo também divulgou iniciativas que considera estruturantes para buscar financiadores. Nesse pacote entra a concessão das BRs- 262 e 267, ainda a serem repassadas pela União, e a MS-040, todas no lado leste do Estado, com expectativa de ocorrer no segundo semestre. Ao todo, foram exibidos projetos que somam R$ 27 bilhões, muitos já acontecendo.

Riedel mencionou novas rotas que devem surgir com o desenvolvimento econômico, que estão em estudos e futuramente poderão despertar interesse privado, como um caminho entre Rio Brilhante e Porto Murtinho, onde há porto importante para escoamento de grãos pela Hidrovia Paraguai-Paraná e por onde passará a Rota Bioceânica e outras estradas estaduais que o Executivo está estudando para pavimentar, conectando cidades do interior.

Embora tenha declarado ser um “realista”, o governador não esconde entusiasmo com as perspectivas de crescimento, apontando que o Estado vivencia um desenvolvimento que supera o dobro da média nacional, o que o colocou “bem na foto” nas apresentações nos Estados Unidos, junto com outros indicadores. Segundo ele, MS foi o único que apostou alto na divulgação de suas potencialidades, embora presentes representantes do Sul, Sudeste e Centro -Oeste. Conforme disse, os governadores de outros estados foram assistir as apresentações de Mato Grosso do Sul aos convidados.

Riedel disse “sem medo de errar” que MS foi o único a fazer eventos de peso para mostrar ser celeiro de grandes oportunidades. “Estamos plantando o futuro”, sentenciou. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE