PUBLICIDADE

Oito mortes por Influenza são registradas em MS; duas delas em Dourados

Ainda de acordo com o boletim da SES, no Estado são 259 confirmações de pessoas com o vírus e que precisaram ser hospitalizadas para tratamento

| ADRIANO MORETTO/DOURADOS NEWS


Foto: Divulgação/SES

Oito pessoas morreram em decorrência da Influenza em Mato Grosso do Sul em uma semana, segundo boletim epidemiológico publicado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Ao todo, são 22 registros de óbitos desde o início do ano. Na penúltima atualização, eram 14 registros confirmados.Entre as vítimas mais recentes, duas delas são de moradores em Dourados.

Uma mulher de 24 anos e um homem de 58, ambos com asma e imunodeficiência como comorbidades, respectivamente. Nesses dois casos específicos, o tipo do vírus da Influenza era o H3N2, responsável pela maioria das mortes no Mato Grosso do Sul, com 14. Outros cinco são de H1N1 e três aparecem como Influenza A não subtipado. 

Ainda de acordo com o boletim da SES, no Estado são 259 confirmações de pessoas com o vírus e que precisaram ser hospitalizadas para tratamento. 

Campo Grande possui o maior número de pessoas afetadas pela doença, com 150. Já Dourados registra nove, sete delas Influenza A não subtipada, um de H3N2 e outro de H1N1.

Vacina

Uma das melhores formas de se prevenir contra a Influenza é através da vacinação. Desde o dia 2 e até 31 de maio, as doses são ofertadas à toda população a partir dos 6 meses de idade. 

O objetivo com a campanha de imunização contra a doença é reduzir as complicações, internações e ainda a mortalidade decorrente das infecções pelo vírus Influenza na população, visando aumentar a quantidade de pessoas imunizadas e diminuir a circulação dos vírus. “O aumento de pessoas imunizadas contribui para menor circulação dos vírus e evita sobrecarga nos serviços de saúde. Precisamos aumentar a cobertura vacinal independente de grupos. Estamos com aumento de pessoas hospitalizadas e óbitos por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Influenza, doenças causadas por vírus respiratórios”, afirma Ana Paula Goldfinger, diretora de Imunização da SES.

A vacina utilizada é trivalente, ou seja, apresenta três tipos de cepas de vírus em combinação – A (H1N1); A (H3N2) e B (linhagem B/Victoria) – protegendo contra os principais vírus em circulação.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE