PUBLICIDADE

Hospitais Universitários receberão mais de R$ 65 milhões em investimentos para infraestrutura

Conforme relatado pelo presidente da Ebserh, o objetivo da unidade agora é retomar os investimentos em pesquisas e melhorar na política de Vaga Zero

| CORREIO DO ESTADO/JOÃO GABRIEL VILALBA


Foto: Gerson Oliveira

Os Hospitais Universitários Maria Aparecida Pedrossian (HU-UFMS) e Hospital da Universidade da Grande Dourados (HU-UFGD) devem receber um investimento de R$ 65,5 milhões do PAC, programa coordenado pelo Governo Federal, visando melhorias na infraestrutura e no atendimento ao público.

A informação foi confirmada pelo presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Arthur Chioro, durante uma visita a Campo Grande na tarde de hoje (1º). 

Conforme o cronograma do PAC, o Hospital Universitário de Campo Grande deverá receber R$ 21,5 milhões, enquanto o Hospital Universitário da Grande Dourados está programado para receber R$ 44 milhões. Esses investimentos serão direcionados para melhorias na enfermaria, aquisição de equipamentos e reforma da infraestrutura.

“O que está acontecendo atualmente é uma realidade da maior parte dos hospitais universitários brasileiros, particularmente aqueles mais tradicionais. Quando um hospital fica muito tempo sem recurso, os equipamentos ficam sucateados e demandam um maior aporte de energia. Os investimentos serão realizados nas enfermarias, no centro cirúrgico e também na parte da infraestrutura do hospital”, relatou o presidente da Ebserh, Arthur Chioro.

O hospital, uma referência estadual em doenças infectocontagiosas e procedimentos de alta complexidade, trata pacientes com HIV, realiza terapia renal, cirurgia cardiovascular, hemodiálise, neurologia, gestação de alto risco, urologia e tratamentos com tomografia, todos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, o hospital possui 228 leitos e realizou, no período de junho de 2022 a junho de 2023, 127.859 atendimentos ambulatoriais e 11.180 internações.

Conforme relatado pelo presidente da Ebserh, o objetivo da unidade agora é retomar os investimentos em pesquisas e melhorar na política de Vaga Zero. Isso vem após a unidade enfrentar problemas de superlotação, que praticamente sobrecarregaram todos os serviços prestados pelo Hospital Universitário. 

“Nosso objetivo é que os hospitais universitários sejam comprometidos com as necessidades do SUS. Temos a oportunidade de ensinar aos estudantes todos os cursos da área da saúde, mas existia uma contradição, já que a superlotação do Hospital Universitário tivemos que paralisar as pesquisas para superar essa demanda. A ideia agora é dar continuidade às pesquisas e também realizar atendimento com mais qualidade”, relatou.

Investimentos na infraestrutura  
Durante a comemoração ao aniversário de 49 anos do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-MS), ocorreu a assinatura de ordem de serviço para reforma da Clínica Médica: A obra, no valor de R$ 3.657.382,20 e inserida no Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC) do Governo Federal, na qual prevê a melhoria dos ambientes e da estrutura física, que passará a contar com 54 leitos.

Foi anunciado também a inauguração da revitalização de alojamentos das equipes multiprofissionais e de residentes, incluindo troca de pisos, louças, metais sanitários e revisão elétrica. O Humap-UFMS recebeu a doação de R$ 399 mil da Central de Execução de Penas Alternativas (Cepa), 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, para revitalização dos alojamentos.

Serviços estruturais como a reestruturação de instalações elétricas de média e baixa tensão também serão contempladas, com recurso do Novo PAC de R$225.884,65, a reestruturação visa melhorar a segurança do sistema e na redução do número de incidentes de falta de energia.

Pelo projeto de Eficiência Energética do Hospital Dia: foi também anunciado a substituição de equipamentos na energia elétrica do hospital, com recursos do Grupo Energisa no valor de R$ 330 mil, serão trocadas lâmpadas ineficientes por lâmpadas com tecnologia LED, substituição de equipamentos condicionadores de ar e instalação de uma usina fotovoltaica de 41,42 KWp. Segundo o Humap, a economia de energia elétrica esperada é de R$50 mil por ano.

“Essa emenda de melhorias da infraestrutura tem total apoio da sociedade civil e do governo federal com objetivo de assim melhorar a estrutura de um hospital que tem segmento para ensinar novos profissionais. Não é somente em Campo Grande, mais de R$1 bilhão e meio já foram investidos em 58 hospitais universitários por todo país”, relatou. 
RADIOTERAPIA 

O setor de radioterapia do hospital terá equipamentos atualizados aumentando a gama de tratamentos e a capacidade de atendimento, com investimento de R$ 4,5 milhões, proveniente de emenda parlamentar do Deputado Federal Beto Pereira.

Mais R$ 1,3 milhão, serão investidos no setor oriundos do Rehuf, a obra visa adequar o ambiente às normas de segurança e acessibilidade. O objetivo de acordo com o Humap é melhorar a segurança e qualidade da assistência aos 50 pacientes atendidos, impactando positivamente o ensino e a pesquisa na área de saúde.

O Hospital conta com 210 leitos e realizou, no período de junho de 2022 a junho de 2023, 127.859 atendimentos ambulatoriais e 11.180 internações.

Outro anúncio que acontecerá na Humap será da reforma do espaço e substituição do equipamento da Hemodinâmica: a contratação viabilizará a instalação do novo equipamento de angiografia, que possibilitará a realização de procedimentos médicos especializados, atendendo uma média de 90 procedimentos ao mês.

O recurso de R$ 2,2 milhões é proveniente de emenda parlamentar do Deputado Federal Geraldo Resende.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE