PUBLICIDADE

Após lançar Catan, Bolsonaro muda de ideia e vai decidir 2024 com Tereza

Depois disse que “o jogo só acaba na convenção”, momento em que os partidos homologam candidaturas

| POR MARISTELA BRUNETTO E GABRIELA COUTO/CAMPO GRANDE NEWS


Definição em Campo Grande passa pela senadora Tereza, segundo Bolsonaro (Foto: Reprodução Rede social)

Dias após apontar o nome do deputado estadual João Henrique Catan como alternativa do PL para a eleição em Campo Grande, o ex-presidente Jair Bolsonaro demonstrou que a ideia não está sedimentada e que há outra figura central para os rumos da legenda na Capital, a presidente do PP no Estado, senadora Tereza Cristina Correa da Costa, que levou a prefeita Adriane Lopes para o partido e se empenha em articulações para sua reeleição.

Em entrevista ao Blog do Elielson, na CBN Recife, Bolsonaro falou sobre as movimentações políticas da legenda no Congresso Nacional, que conta com 99 parlamentares, e o empenho em se articular nos municípios para as eleições deste ano. Ele mencionou algumas capitais e arranjos, como São Paulo e Recife, e nesse contexto citou Campo Grande. “Estamos acertando agora com a Tereza Cristina, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul”, emendando que as tratativas envolvem também o presidente do PL no Estado, o deputado federal Marcos Polon.

Bolsonaro já tinha mencionado a senadora na entrevista, ao falar dos feitos do governo, com a entrega de títulos a assentados, priorizando as mulheres, ideia de Tereza quando era Ministra da Agricultura. Referiu-se a ela como “aquela pequena grande mulher que foi fantástica”.

O ex-presidente admitiu a impossibilidade de o PL, que deve ter a maior quantia do fundo partidário entre as legendas, ser o protagonista em todos os lugares, aliando-se a outros partidos de direita, momento em que citou como exemplo o PP, e disse que a prioridade é propagar os ideais, como Pátria, família, Deus e liberdade.

O jogo continua- Catan comentou que foi informado sobre a entrevista de Bolsonaro. Primeiro manifestou o orgulho de ter sido mencionado como alternativa. “Dá pra explicar a sensação de você estar na boca do presidente Bolsonaro, no coração do presidente Bolsonaro, de você ter brotado ali espontaneamente, é algo que, olha, sem palavras, eu nunca vou conseguir expressar a tamanha gratidão, lealdade e companheirismo”.

Depois disse que “o jogo só acaba na convenção”, momento em que os partidos homologam candidaturas. Considerou que ainda há tempo até lá e que é natural o ex-presidente fazer composições, articulações, por ter sido criticado por não investir nisso no passado. “A ministra Tereza, ex-ministra Tereza, a nossa senadora Tereza, tem a vontade de colocar a candidata dela, o PP, na frente de um candidato do PL, e o presidente está sendo político, todo mundo sempre criticou ele por isso, então nós temos que entender que existem circunstâncias maiores e mais importantes”, disse, argumentando que vai esperar a decisão do partido sendo uma alternativa dentro do propósito de crescimento da legenda, segundo ele um desejo da militância.

Questionado se estava triste com a declaração do presidente, Catan mencionou que está feliz e preparado para o ato neste fim de semana em São Paulo, convocado em apoio a Bolsonaro, e também em receber a ex-primeira dama, Michele Bolsonaro, no evento que participará do PL em Campo Grande, no dia 24. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE