PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
10/01/2019 10h33 - Atualizado em 10/01/2019 15h27

Homem se acorrenta em frente ao Fórum e acusa 'ex' de má-fé

Dourados News


Nelson, acorrentado à escada, segura o cartaz com dizeres contra ex-companheira. (Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News)

Alegando estar impossibilitado por decisão judicial de se aproximar do imóvel e do comércio próprio na região do Jardim Santo André, em Dourados, o feirante Nelson Gonçalves da Cruz, 54, se acorrentou em frente ao Fórum na manhã desta quinta-feira (10/1) em protesto contra a ex e a Lei Maria da Penha, que segundo ele, o tirou o ‘teto’ e o colocou na rua. 

A situação ocorre desde o ano passado, quando o homem disse ter flagrado a então esposa com o ex-namorado dela. 

Desde então, contou ter sido acusado de ameaça e, por determinação da Justiça, ficar distante 200m do local onde residia. 

“Peguei ela com o ex. Ela me traiu! Eu não a agredi e não a ameacei, apenas disse: veja bem o que você está fazendo, você tem um nome a zelar”, contou ao Dourados News. “Depois disso ela procurou um advogado, foi à Delegacia da Mulher pedindo proteção e eu acabei enquadrado na Lei Maria da Penha”, completou.

Nelson disse ter ido ao Fórum para saber como anda o processo, já que desde a decisão, precisou encontrar um local para morar e se arrumar em outro emprego. Além de comercializar produtos na feira, o comércio dele é anexo à casa de sua propriedade.

No imóvel estão morando a filha dele e o filho da ex, que atualmente – segundo o homem - reside com o pivô do imbróglio.  

“O juiz disse que eu preciso ter paciência, mas não concordo com essa situação. Não fui eu quem trai. Trabalhei duro a vida inteira para conquistar o que eu tenho e agora preciso morar de favor, aluguel e trabalhar de empregado? Para me sustentar comecei emprego em uma conveniência”, disse. 

Nelson disse que continuará acorrentado no local durante todo o dia e não descarta retornar. “Alguém vai ter que me dar resposta”, afirmou, segurando cartaz com os dizeres: ‘Mulher usa de má-fé, pede proteção usando Maria da Penha para sacanear ex-companheiro, ficando de posse de todos os imóveis enquanto ex-companheiro na rua com mala na mão’.

O homem foi preso na época acusado por violência doméstica. Ele nega as acusações e disse não existir laudos comprovando isso, porém, por determinação judicial, existe uma medida protetiva para que fique distante da ex-mulher. 





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE