PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
09/01/2019 08h53 - Atualizado em 09/01/2019 15h17

Corpos de família de bolivianos são encontrados mutilados em SP

G1


Corpos de família de bolivianos foram encontrados mutilados em malas em casa em Itaquaquecetuba — Foto: Reprodução/ TV Diário

Os corpos de um homem de 39 anos, uma mulher de 38 anos e um menino de 8 anos foram encontrados mutilados na noite desta terça-feira (8), em uma casa em Itaquaquecetuba.

 

Eles estavam divididos em três malas. Os bolivianos Jesus Reynaldo Condori Sanizo e Irma Morante Sanizo eram pais de Gian Abner Morante Condori.

 

A família estava desaparecida desde dezembro e era procurada por parentes da Bolívia.

 

A Polícia Militar informou que inicialmente recebeu uma denúncia de um cárcere privado no bairro do Jardim Paineira. "Recebemos a denúncia sobre o cárcere e fomos ao imóvel que estava fechado. Entramos em contato com o dono da casa e ele permitiu nossa entrada. Junto com um parente das vítimas encontramos as malas no banheiro dos fundos. Pedimos ao parente que abrisse a mala e encontramos vários sacos plásticos. Ao cortar esses sacos vimos as partes dos corpos", explicou o o tenente da PM Maurício Magalhães.

 

O local foi alugado para guardar máquinas de uma pequena confecção de roupas.

 

Uma perícia confirmou que os corpos são dos três bolivianos.

 

A família estava desaparecida desde 23 de dezembro. Parentes na Bolívia fizeram até campanha nas redes sociais para encontrar a família.

 

A polícia já tem um suspeito que foi quem alugou a casa, mas ele está foragido. "Ele é um parente das vítimas que veio da Bolívia para trabalhar com eles na confecção. Mas estava insatisfeito com os pagamentos. Como a família fez denúncia para a Polícia Federal no Brasil e na Bolívia, ele já é procurado pela Interpol", afirmou o tenente.

 

A Polícia Militar deteve dois homens suspeitos de terem ajudado a transportar os corpos das vítimas de São Paulo para Itaquaquecetuba.

 

Na manhã desta quarta-feira (9), a polícia informou que eles foram ouvidos como testemunhas e liberados.





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE