PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
06/12/2018 13h48

Bolivianos fecham fronteira em Corumbá em protesto contra Morales

Correio do Estado


Manifestantes dizem que permanecerão no local por 24 horas - Foto: Corumbá Agora

Desde às 0h desta quinta-feira (6) a fronteira da Bolívia com o Brasil por meio de Corumbá está fechada. A medida é decorrente de protesto de um grupo do país contra a decisão da suprema corte do país em manter Evo Morales no poder por mais quatro anos.

Em entrevista ao portal 'Corumbá Agora', o presidente do Comitê Cívico de Puerto Quijarro, Marcelo Moreira Silva, disse que o Paro Cívico, como é chamada a manifestação, acontece em todo o país.

“Eles não estão respeitando o povo. No dia 21 de fevereiro, fomos às urnas e ficou decidido que 51% da população boliviana disse não para nova reeleição do presidente. Queremos que se respeite a democracia e não que Bolívia possa se tornar ditadura, pois, é isso que vai acontecer caso essa decisão permaneça e o presidente insista mais uma vez na reeleição”, explicou Silva.

Segundo ele, a manifestação durará 24 horas.

Ainda ao portal, Silva disse que uma reunião a nível nacional acontecerá em dez dias. Caso não haja resposta em relação a decisão da população, o Paro Cívico voltará, porém, por tempo indeterminado, prevendo novamente o fechamento da fronteira entre os dois países.  

“Tem que e respeitar a democracia. Do mesmo jeito Evo Morales entrou pela porta da frente, ele tem que sair. Bolívia não pode virar uma Venezuela ou Cuba. Não vamos admitir que se viole a Constituição Política da Bolívia”, finalizou.  





PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE