PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
02/01/2018 14h02

Em terceiro ano de mandato, Azambuja cumpre 39,13% dos compromissos de campanha

G1 MS


Foto: Reprodução

Em seu terceiro ano de gestão, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), cumpriu totalmente 9, de um total de 23 dos principais compromissos assumidos durante sua campanha eleitoral, o que representa 39,13%. Outras 2 promessas, 8,6% foram efetivadas em parte e 12, o que representa 52,17% ainda não foram cumpridas.

 

Os dados são de levantamento que o G1 faz em âmbito nacional para avaliar anualmente a administração de gestores públicos das esferas federal, estadual e municipal. Na avaliação são levadas em conta as promessas feitas pelos candidatos durante a campanha em discursos, entrevistas, debates, no plano de governo registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) e até mesmo no discurso de posse.

 

Para conferir a página com o levantamento completo clique aqui!

 

Em relação a Azambuja, as promessas já cumpridas até este terceiro ano de gestão foram: implantar sistema de promoção por mérito para servidores estaduais (administração), criar autarquia para cuidar das comunidades indígenas (direitos humanos e sociais), acabar com o ICMS antecipado (economia), criar política regionalizada de incentivos fiscais (economia), ampliar a educação em tempo integral (educação e cultura), melhorar o índice do IDEB (educação e cultura), pagar o piso nacional a professores (educação e cultura), fazer mutirões da saúde nos polos regionais (saúde) e implantar auditorias independentes em órgãos públicos (transparência).

 

O levantamento do G1 aponta que outros dois compromissos assumidos pelo governador durante a disputa eleitoral foram ou estão sendo executados em parte: reduzir a carga tributária (economia) e construir presídios (segurança pública).

 

Para entender os critérios da avaliação do G1 clique aqui!

 

Em relação as 12 promessas ainda não cumpridas, o governo do estado apresentou ao G1 uma justificativa para cada um dos assuntos pendentes. Confira quais são: implementar o projeto “de casa em casa” e instalar ouvidorias da comunidade (administração), fazer concurso para professores (educação e cultura), destinar 1,5% do orçamento para a cultura (educação e cultura), acabar com o déficit habitacional (habitação), implantar portos de embarque de bovinos (infraestrutura), construir o hospital regional de Corumbá (saúde), concluir o hospital do Trauma (saúde), criar o programa “Saúde Dentro de Casa” (saúde), criar e implantar o pronto atendimento ao idoso (saúde), abrir concurso público para médicos (saúde), aumentar o efetivo policial nas fronteiras (saúde) e implantar um Corpo de Bombeiros especializado em combate a incêndios florestais (segurança pública).



                    


NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE