PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
19/05/2017 17h43 - Atualizado em 21/05/2017 10h40

Reinaldo diz que dinheiro recebido da JBS foi oficial e doado ao partido

CG News


Governador Reinaldo Azambuja; por meio de nota, ele rebate delação de dono da JBS

 O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), se defendeu na tarde desta quinta-feira (19) das acusações feitas por Wesley Batista, um dos donos da JBS, no âmbito da Operação Lava Jato. Ele diz que as doações feitas pela empresa a ele foram encaminhadas pelo diretório nacional tucano e constam na prestação de contas da campanha.
 

O chefe do Executivo estadual afirma que a delação foi feita com base em “suposições”, que incentivos fiscais dados pelo Estado à empresa são legais e que só recebeu do frigorífico doação para a campanha eleitoral feita via PSDB nacional.
 

Em trecho de 13 minutos da delação de Wesley Batistas, um dos donos da JBS, ele fala especificamente sobre esquema de pagamento de propina para os governadores de Mato Grosso do Sul, que teria começado com José Orcírio Miranda dos Santos em 2000, ano que Zeca do PT assumiu o Governo do Estado.
 

“Este modus operandi do Mato Grosso [do Sul] ficou até agora no final do ano passado [2016] funcionando. Ele foi passando. Passou do Zeca do PT, foi pro Puccinelli”, explica Batista na delação.
 

O esquema, segundo o delator, prosseguiu no governo de Reinaldo Azambuja. Batista cita a empresa Buriti Comércio, do segmento de carne, que teria recebido R$ 12,9 milhões. “Isso já é do governo atual”, enfatizou.
 

Diretamente a Azambuja, foram entregues cerca de R$ 10 milhões, conforme o dono do JBS.
 

O governador rebate as afirmações. Leia a nota assinada por ele
:

“Tendo em vista a delação do empresário Wesley Batista em que meu nome é citado, e em respeito ao povo de Mato Grosso do Sul, faço os seguintes esclarecimentos:
 

O empresário Wesley Batista apresentou em sua delação premiada suposições de fraude envolvendo cinco termos de acordo de incentivos fiscais com o Estado de Mato Grosso do Sul, dos quais apenas um foi assinado em minha gestão;
 

Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual;
 

Em relação à declaração de que recebi aproximadamente R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura em 2014;
 

Ressalto que a transparência na gestão pública é meu compromisso com o povo sul-mato-grossense, comprovado pela ultima avaliação da CGU que colocou Mato Grosso do Sul com nota 10 em transparência, sendo o Estado que mais evoluiu nesse quesito em todo o país;
 

Apoio integralmente às investigações, e me coloco à disposição para apresentação de todo e qualquer documento ou esclarecimento que contribua com a elucidação total dos fatos;
 

Por fim reforço que qualquer outra alegação de fatos ilícitos envolvendo meu nome e a empresa JBS não condiz com a verdade, e será devidamente comprovado.
 

Campo Grande – MS, 19 de Maio de 2017.

Reinaldo Azambuja Silva
Governador do Estado de Mato Grosso do Sul”




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • Tupy30
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE
  • Tigre32