PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
20/04/2017 07h42 - Atualizado em 20/04/2017 08h58

Santos segura empate com Santa Fe e mantém a ponta

Gazeta Esportiva


O Santos pouco tentou no duelo contra o Santa Fe e segurou o empate em Bogotá( Foto: RAUL ARBOLEDA/AFP)

O Santos conseguiu o que se preparou para fazer. Com o regulamento embaixo do braço, o Peixe pouco se arriscou em Bogotá, segurou o empate em 0 a 0 contra o Santa Fe, na noite desta quarta-feira, no estádio El Campín, e segue na liderança do grupo 2 da Copa Libertadores.

Mesmo melhor tecnicamente, o time comandado por Dorival Júnior abdicou de jogar futebol na primeira etapa e tentou o gol apenas após o intervalo. Porém, a expulsão de Jean Mota, aos 35 minutos do segundo tempo, fez o alvinegro recuar mais uma vez, sofrer uma pressão no fim, mas conseguir sair com a igualdade da Colômbia.

Com o empate, o Peixe chegou aos 5 pontos e manteve-se na ponta de sua chave na competição continental. Já o Santa Fe, por sua vez, roubou a segunda colocação do The Strongest. As duas equipes estão com quatro pontos, mas o time colombiano vence no saldo de gols.

Na próxima rodada da Libertadores, Santos e Santa Fe voltam a se enfrentar. Desta vez, porém, o duelo terá mando do alvinegro e acontecerá no Pacaembu, no próximo dia 4 de maio, às 21h45 (de Brasília).

Eliminado do Campeonato Paulista, a equipe santista ficará 14 dias apenas treinando para o novo embate frente aos colombianos.

Santos recuado e pouca emoção
O santista que acordou cedo para trabalhar e decidiu ficar acordado até tarde para assistir o Peixe na Colômbia, provavelmente não deve ter aguentado os primeiros 45 minutos. A partida até que começou dando esperanças em Bogotá, porém, as poucas oportunidades e a passividade dos dois times deixaram o duelo fraco e sonolento.

Os momentos iniciais foram de muito estudo. O Santa Fe tentava chegar no toque de bola, mas não conseguia incomodar a zaga santista. O Peixe, por sua vez, aguardava o time colombiano na defesa e apostava em lançamentos longos para a velocidade de Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Porém, os minutos foram passando, nenhuma das equipes se lançou ao ataque incisivamente e os goleiros Vanderlei e Castellanos apenas assistiram o embate de camarote. Isso mesmo! Os editores encarregados de separarem os ‘melhores momentos’ para os programas esportivos do dia seguinte, terão muita dificuldade para tirar algo de bom do primeiro tempo.

A partida foi tão sonolenta que o único chute do Santos na etapa inicial foi de Jean Mota. Porém, o santista pegou muito mal na bola e mandou quase para a lateral do estádio El Campín.

Peixe ‘acorda’, mas leva pressão no fim
Os três primeiros minutos após o intervalo já superaram toda a etapa inicial. Logo de cara, Damir Ceter, que havia acabado de entrar, cabeceou dentro da área e parou nas mãos de Vanderlei. No lance seguinte, Lucas Lima rolou para Renato, que arriscou de longe. O chute do volante passou perto da trave direita e assustou Castellanos.

Já aos 16 minutos, o Peixe fez sua primeira jogada mais ‘ousada’ no jogo. Bruno Henrique avançou pela esquerda, deu lindo corte na marcação e tocou para Vitor Bueno. Dentro da área, o meia dominou e driblou o zagueiro, mas foi travado na hora do chute. Logo depois, Renato mandou mais uma de longe, mas errou o alvo novamente.

Apesar da pequena melhora, a partida seguia muito fraca em Bogotá. Sem qualidade técnica, o Sants Fe tentava chegar na base de ‘abafa’. Enquanto isso, o Santos continuava esperando a hora certa para tentar anotar o primeiro tento no duelo.

Aos 28 minutos, o alvinegro criou sua melhor oportunidade em toda a partida. Após bela troca de passes na entrada da área, Lucas Lima driblou a marcação no lado esquerdo e rolou para Victor Ferraz. O lateral bateu forte e acertou a trave. No rebote, Castellanos segurou e salvou o Santa Fe.

Justamente quando o Santos estava mais próximo de abrir o placar, o árbitro Fernando Rapallini entendeu que Jean Mota retardou o jogo ao se recusar a bater uma falta e expulsou o santista. Com um a menos, o técnico Dorival Júnior decidiu recuar de vez a equipe e colocou o volante Leandro Donizete na vaga de Vitor Bueno.

Aproveitando a superioridade numérica, o Santa Fe ‘acordou’ nos últimos 15 minutos e partiu pra cima do Peixe. Porém, os santistas conseguiram suportar a pressão e seguraram o 0 a 0 em Bogotá.

FICHA TÉCNICA
SANTA FE 0 X 0 SANTOS

Local: Estádio El Campín, em Bogotá, na Colômbia
Data: 19 de abril de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Assistentes: Juan P. Belatti (ARG) e Gabriel Chade (AGR)
Cartões amarelos: SANTA FE: Yeison Gordillo, Jonathan Gómez, Baldomero Perlaza, Daíron Mosquera. SANTOS: Jean Mota (duas vezes), Thiago Maia, Bruno Henrique.
Cartão vermelho: Jean Mota.

SANTA FE: Leandro Castellanos; Juan Daniel Roa, José Moya, Héctor Urrego e Daíron Mosquera; Yeison Gordillo, Baldomero Perlaza (Perez), Jonathan Gómez e Johan Arango (Plata); José Valencia (Damir Ceter) e Denis Straqualursi.
Técnico: Gustavo Costas

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Leandro Donizete), Bruno Henrique (Yuri) e Ricardo Oliveira (Copete).
Técnico: Dorival Júnior




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • Tupy30
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE
  • Tigre32