PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
19/04/2017 07h28

Chapecoense se complica na Libertadores; Peixe segue na liderança

Gazeta Esportiva


Reinaldo abriu o placar para a Chape, mas o jogo truncado após isso não foi bom para os brasileiros (Foto: Nelson Almeida/AFP)

A Chapecoense viveu uma noite típica de Copa Libertadores da América. Na terceira rodada do Grupo 7 da competição, a equipe de Santa Catarina não aproveitou o fator casa e ficou apenas no empate com o Nacional do Uruguai. A partida teve muita confusão entre os atletas, pressão na arbitragem e, principalmente, lances incríveis desperdiçados pelo Verdão do Oeste. Agora, a situação da Chape fica complicada, já que os dois próximos compromissos serão fora de casa.

Com quatro pontos, os brasileiros ocupam a terceira colocação. O Nacional é o vice-líder com a mesma pontuação, mas tem um saldo melhor (0 a -1). O time argentino do Lanus chegou aos seis pontos e lidera depois de golear o Zulia por 5 a 0 em casa também na noite dessa terça. Com três pontos, o Zulia é o lanterna, mas segue vivo na disputa.

A quarta rodada do Grupo 7 terá a Nacional e Chapecoense frente à frente de novo, na próxima terça, no Parque Central, às 21h45. Enquanto isso, o Zulia recebe o Lanus na quinta, às 19h30.

A Arena Condá mais uma vez recebeu um bom público nessa Libertadores. Com o apoio de pouco mais de 12 mil torcedores, a Chape entrou em campo ciente da necessidade da vitória, mas percebeu logo de cara a importância de tomar todo cuidado com o adversário, que mostrou aos três minutos que não estava para brincadeira. Rodrigo Aguirre arriscou de longe e acertou o travessão.

O lance, no entanto, não intimidou os mandantes, que na sequência se lançaram ao ataque e conseguiram um pênalti com Arthur, que foi derrubado dentro da área por Otálvaro. Na batida, Reinando abriu o placar.

A Chapecoense seguiu melhor em campo e chegou a balançar as redes com Wellington Paulista, mas o árbitro viu falta do atacante na jogada que anulou o lance. Melhor para os uruguaios, que pouco antes do intervalo, acharam um gol pelo lado esquerdo. Ramírez cruzou e Hugo Silveira não perdoou, de primeira. Tudo igual.

Na segunda etapa, o jogo ficou amis aberto e mais tumultuado também. Os jogadores do Nacional faziam de tudo para irritar os brasileiros e retardar a partida. Mesmo assim, a Chape teve duas chances incríveis de garantir a vitória. Na primeira, García por pouco não marcou contra. Em seguida, Túlio de Melo parou no goleiro Conde e, no rebote, chutou na trave e ainda viu a bola correr toda a linha do gol. Inacreditável.

Sempre que a Chape parecia próxima de anotar um gol, o Nacional resolvia responder. Dessa vez, foi Arthur Moraes que brilhou embaixo da trave ao evitar gol de Aguirre, cara a cara.

No fim, não teve jeito. Apesar de toda a pressão imposta pelo Verdão do Oeste nos minutos finais, o placar não foi mais alterado e o Nacional voltou para casa satisfeito com seu ponto conquistado na casa do adversário.

Santos agradece
Na outra partida dessa terça, quem se deu bem foi o Santos. Isso porque o The Strongest conseguiu segurar o empate por 0 a 0 com o Sporting Cristal em pleno estádio Nacional, em Lima, no Peru. A equipe da casa pressionou, acertou bola no travessão, perdeu diversas oportunidades, praticamente não sofreu ataques, mas não conseguiu mexer no placar.

Dessa forma, o Peixe segue na liderança com quatro pontos e pode disparar nesta quarta, se vencer o Santa Fe, na Colômbia, às 21h45. A equipe de Bogotá tem três pontos, inicia a terceira rodada atrás do The Strongest, que soma quatro pontos também, mas pode saltar para a ponta. O Sporting Cristal, que fez dois jogos em casa já, segue em último, com apenas dois pontos marcados.




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • Tupy30
PUBLICIDADE
  • capitao hotel22


PUBLICIDADE
  • Tigre32